sábado, 9 de maio de 2009

Provérbios eróticos

Meu filho, ouça-te o saber, ouve a tua inteligência e terás juízo e ciência, eles honrarão teus lábios.
Entrega-te à mulher perversa, os lábios da sua vulva destilam mel, sua palavra é mais valiosa que o vinho, o fim é mais amargo que o vinagre e mais aguçado como a dúvida que desperta.
Seus passos vão para a morte e nossos caminhos têm de passar por ali obrigatoriamente.
Longe das veredas da vida, uma via fácil e agradável porém superficial, para não parecermos tolos.
Ouça-te sempre, meu filho não te desvies de tuas decisões.
Faz teu caminho por ela, termine tua inútil vida na sua cama, temendo tua cabeça vá a ela.
E caso teus saberes sejam condenados pelos justos, temendo que tua obra beneficie perseguições e o fruto de teu prazer se perca tão cedo, temendo a evidência da tua execução, o corpo e a carne trucidados, reagirás e declararás:
Odeio a repressão, meu coração despreza a moral, não ouvi os que se dizem mestres nem sigo o que instruem!
Logo serão um monte de estrume no meio do povo e de sua assembléia!
Censuras só são boas a quem ama a vida, pois te proibirão de desfrutar da mulher perversa e da língua gulosa da estrangeira.
Não resistas à beleza, o teu coração, nem te deixes de notar esses olhares sedutores.
À cidadã basta um único homem, mas a adúltera é fonte de experiências preciosas.
Pode alguém deter o fogo natural interno sem que sua mente seja submetida?
Pode alguém negar as brasas sem que seus olhos teimem a desejar?
Tal é o que vai à mulher alheia, quem a compartilha jamais esquece.
Não se pune a emoção que surge para completar a falta deste alimento!
Se for aplicado, ganhará o décuplo e receberá tudo o que quiser desta causa.
Mas à adúltera, sobra-lhe recursos.
Quem quer aumentar os seus, consulte-a, sim!
Ela recebe tímidos e acanhados que jamais tornarão a ter vergonha!
O cume excita a vinha dos maridos, não terá prioridade no dia da lambança, não cederá com pouca consumação, nem se satisfará muito cedo, se o tentares.
Ela o guia com tesão, excita-o com lábios sedutores.
Tu te pões a contentá-la, como um boi trepado no seu couro, tal qual um cervo, preso nos lençóis.
Logo a seta entra no seu princípio, como um pássaro que entra no buraco, sem saber que ali se dirige toda a vida.
Agora meu filho, prepara-te e ouve as palavras dela.
Teu coração descarregue nestas vias sem se desperdiçar por outros caminhos, pois ela o conduzirá à plenitude, os mais robustos são preferidos.
Sua causa, caminhar para a perfeição, que adentra pelo templo do prazer.
Meu filho, dá-lhe teu coração, teus olhos observem esses caminhos.
Uma cava profunda: sua arma, um poço estreito: a estratégia.
Ela faz enlaces como uma rainha e aumenta o número dos gozos.
Tal é o caminho da mulher prazeirosa: come e depois, limpando a boca, diz: Não foi nada mal...
Esposa lasciva é como o vinco de dois seios fartos: querer reparti-la é como aliviar a pressão.
Mulher embriagada é motivo de orgia: sua sinceridade é tocante.
A lascívia da mulher enlouquece, na devassidão do seu olhar e compensa-lhe pelas nádegas.
Não exagere na vigilância de uma filha bem dotada, para que ela não se descubra com fraqueza e não tire bom proveito disso.
Guarda-te de a seguir com olhar mendicante e não te espantes se a arrastam para o lado.
Como um amante tarimbado, abre-a a boca e a faça beber de toda a sua água, sente-a, como mulher, independente diante de qualquer homem e entregue seu corpo à volúpia dela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário